Sindicato contesta decisão de ampliar número de alunos em escolas de São José dos Campos


O SindServ (Sindicato dos Servidores), de São José dos Campos, classificou como precipitada a decisão de ampliar o número de alunos nas escolas, conforme sua capacidade física, desde que respeitando distanciamento social.


O recesso na educação antecipa um segundo semestre com a maior ampliação no número de crianças em salas de aula desde o início da pandemia. O governo estadual liberou que as escola, desde que respeitem a distância de um metro entre os alunos -- até então, a determinação previa ao máximo 35% da capacidade das unidades, com distância mínima de 1,5 metro entre eles. Os demais protocolos, como uso de máscaras e reforço da higiene das mãos, seguem em vigor.


O órgão afirma que o retorno só deveria ocorrer com toda a comunidade escolar vacinada. "As escolas da rede municipal possuem estruturas que não suportam a presença de estudantes em sala de aula com a possibilidade de distanciamento, o que já ficou provado pelo número elevado de denúncias de contaminações de estudantes e educadores diante do retorno parcial das aulas presenciais. Além do mais, mais uma vez os professores não foram consultados sobre esse retorno", diz trecho de nota da entidade.


No Vale, São José dos Campos já havia confirmado que aplicaria o novo modelo de retomada, mantendo a ida dos alunos como opcional aos pais e responsáveis. Na cidade, as aulas presenciais ocorrem desde o início de fevereiro e, segundo a Secretaria de Educação, "prioriza o atendimento seguro de todos e o aprendizado dos estudantes".


FONTE: Jornal O VALE

Posts recentes

Ver tudo