Criança apresenta suspeita de "Hepatite Misteriosa" em São José dos Campos


A cidade de São José dos Campos registrou o primeiro caso suspeito de hepatite "misteriosa", e ele foi divulgado na última segunda-feira, 9 de maio, pelo Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo. Só no estado de São Paulo já são sete casos confirmados da hepatite "misteriosa", dois desses casos estão internados, sem a divulgação dos locais de internação.


O caso registrado em São José dos Campos, segundo a secretaria de saúde da cidade, foi em fevereiro, em uma criança de dois anos e 11 meses, que já recebeu alta e passa bem. Ainda segundo a secretaria de saúde, a inflamação no fígado da criança durou três semanas, com resultados de testes negativos para as hepatites dos tipos A, B e C. A origem da doença ainda não foi identificada e o caso é monitorado. Não foi identificado histórico de viagens ou contato com outros casos.


Segundo o Ministério da Saúde, são monitorados por todo o Brasil, ao menos 18 casos suspeitos da hepatite infantil "misteriosa", que atinge pessoas com menos de 16 anos, que apresentam sintomas semelhantes aos da doença hepática, como icterícia, diarreia, vômitos e dores abdominais , porém sem a presença do vírus.


A doença preocupa os profissionais da saúde pela agressividade: cerca de 10% dos pacientes com esse tipo de hepatite precisam de um transplante de fígado.


A OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde) recomenda tomar medidas básicas de higiene, como lavar as mãos, cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar. Esse cuidado também serve para evitar a transmissão de adenovírus, apontado como a hipótese mais provável para causa da hepatite misteriosa.