Coronavac tem eficácia de 78% em casos leves e 100% contra casos graves em estudo no Brasil


A Coronavac apresentou eficácia de 78% nos estudos finais realizados no Brasil. O percentual e todos os resultados foram apresentados à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nesta quinta-feira (7), quando também é previsto o ingresso do pedido de registro emergencial da vacina.


Em coletiva de imprensa, o Instituto Butantan apontou ter realizado uma primeira reunião sobre o pedido de uso emergencial com a agência na manhã desta quinta-feira. Outra deve acontecer nesta tarde.


"Esse resultado significa que a vacina tem elevado grau de eficiência e eficácia para proteger a vida dos brasileiros. As pessoas vacinadas terão entre 78% a 100% chances a menos de desenvolver a covid-19", afirmou o governador, João Doria (PSDB).


O estudo foi revisado na Áustria pelo Comitê Internacional Independente. A taxa mínima de eficácia recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pela Anvisa é de 50%.


RESULTADOS

Segundo o Estado, os estudos apontaram que 78% dos voluntários do estudo tiveram somente casos leves e não precisaram procurar o médico. A vacina conseguiu proteger na totalidade dos casos, ou seja, em 100%, contra mortes e casos moderados, que incluem internação hospitalar.


No Brasil, a vacina foi testada em 16 centros de pesquisa, em sete estados e no Distrito Federal, com 13 mil voluntários. Os resultados apontam que o imunizante garantiu proteção total contra mortes nos 200 voluntários que foram contaminados pela doença.


Inicialmente, a previsão era a de que os resultados fossem apresentados no dia 15 de dezembro e, depois, a data foi alterada para o dia 23 do mesmo mês. Na ocasião, o governo informou que não poderia apresentados os dados do país antes de análise solicitada pela Sinovac, conforme preconizava o contrato.


FONTE: JORNAL OVALE

https://www.ovale.com.br/_conteudo/brasil/2021/01/119923-coronavac-apresenta-eficacia-de-78--em-estudo-no-brasil.html