Confirmado: ataque ocorrido na Praia Grande de Ubatuba foi causado por tubarão


Uma idosa de 79 anos foi atacada por um tubarão na Praia Grande, em Ubatuba, litoral norte de São Paulo. O caso é o segundo registrado na cidade em menos de um mês - no início de novembro, um turista francês também foi atacado por um tubarão.


O novo ataque de tubarão foi confirmado pela Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) e a suspeita é de que tenha sido vítima da espécie tubarão-tigre ou cabeça-chata, ambos de porte médio, presentes nas águas paulistas.


A vítima é de Minas Gerais e estava na cidade para o feriado de Proclamação da República. Ela estava na Praia Grande, a mais buscada por turistas em Ubatuba, com a família no último domingo (14) quando na água foi atacada pelo animal.


A idosa teve um corte de cerca de 25 centímetros de extensão na perna. De acordo com a prefeitura, a idosa foi socorrida para a Santa Casa, teve o ferimento suturado e depois foi liberada.


A família da vítima alegou no hospital que ela teria sido atacada por um tubarão. As imagens do ferimento foram encaminhadas ao professor Otti Bismark, da Unesp, especialista em tubarões. Segundo o especialista, as características do ataque descrito pela vítima e a análise do ferimento comprovaram o ataque.


Em nota técnica, ele explicou que “o agente causador do trauma foi uma espécie de tubarão de médio a grande porte, com cabeça arredondada, focinho curto”, informou o pesquisador.


Otto ainda aponta que, pelas características dos dentes, a idosa foi vítima ou de um tubarão-tigre ou de um tubarão cabeça-chata. As duas espécies se alimentam de peixes de porte médio, são comuns no litoral paulista e usam a costa – próximo à praia – para alimentação e busca de áreas adequadas para reprodução.


Este é o segundo ataque de tubarão na cidade neste mês. Após o feriado de Finados, um turista francês também foi atacado por um tubarão em Ubatuba.


Nesse caso, no entanto, ainda não foi identificado o que poderia ter causado o ataque, que é incomum no litoral norte. Há pelo menos trinta anos a região não registrava ataques de tubarão. Os pesquisadores afirmam que irão apurar os motivos que levaram aos ataques.


Fonte: G1 Vale do Paraíba e Região (texto e imagem copiados na íntegra)