Após morte de bebê, pais acusam Hospital Clínicas Sul de São José dos Campos de negligência médica


Os pais de uma bebê de um ano estão acusando o Hospital Clínicas Sul de negligência médica, após ela ter falecido na última quarta-feira, 27 de abril, durante atendimento no hospital.


De acordo com os pais da bebê, Maria Eduarda teria passado mal depois de tomar uma medicação antes de ser examinada pela equipe de plantão. Após tomar a medicação, foi colocada em uma ambulância para ser transferida para o Hospital da Vila Industrial. Ainda segundo os pais, eles teriam sido impedidos de acompanhá-la, e, no dia seguinte, foram informados de que ela havia falecido de parada cardiorespiratória.


A Prefeitura de São José dos Campos anunciou o afastamento da médica responsável por procedimento padrão, após a abertura de uma sindicância interna para apurar o caso. A Secretaria de Saúde, através de sua auditoria, está acompanhando os trabalhos de apuração do caso.


Em nota, a Prefeitura de São José dos Campos afrima que "a criança deu entrada no HCS (Hospital de Clínicas Sul) com quadro suspeito de bronquiolite e apesar de todos os cuidados da equipe médica evoluiu para um quadro agudo de broncoespasmo, seguido de PCR (Parada Cardio Respiratória), quando foram feitas manobras de ressuscitação, revertendo o quadro e possibilitando a transferência para a UTI pediátrica do Hospital Municipal. No caminho para o HM, a criança apresentou nova PCR e chegou quase sem vida ao hospital, onde as equipes atuaram de forma árdua por cerca de 30 minutos para reverter o quadro, mas infelizmente sem sucesso."


Os pais da bebê disseram que ela era saudável e não apresentava nenhum problema respiratório. Eles estão tendo um auxílio de advogado, que solicitou os exames e o receituário da criança.